A Ordem de Malta atua no Brasil há mais de 50 anos. Devido á grande extensão de seu território, o país possui três Associações Nacionais, com sedes em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

A Associação de São Paulo e Brasil Meridional fundada em 1956, engloba também os Estados de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Num espaço cedido pela paróquia do Jabaquara e com a ajuda de uma equipe de professores da Faculdade de Higiene e Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), coordenados pelo Professor Jayme Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti, foram dados os primeiros passos para organizar o atendimento médico.

Hoje ela mantém o Centro Assistencial Cruz de Malta, que atende, sempre gratuitamente, uma faixa de população muito necessitada. Em sua maioria com baixa escolaridade, sem formação profissional e com saúde precária. As atividades são realizadas por intermédio do Centro Médico e Socioeducativo, da Creche e do Centro de Juventude, instalados na periferia Sul da capital paulista, vizinha as favelas da região.

Em Curitiba, a Associação conta com uma Creche, Cursos Profissionalizantes e Lar de Idosos.

Em São Paulo, da mesma forma que na maioria dos locais onde há obras ou membros da Ordem de Malta, se reúne um grande número de voluntários, que prestam uma significativa colaboração aos programas. Nesses anos de atuação, selamos parcerias com organizações públicas, nos âmbitos municipal, estadual e federal, e com diferentes setores da sociedade, como universidades, empresas privadas e associações, formando uma importante rede de parceiros e colaboradores tecida com fio forte e resistente: a solidariedade.

Etapas:

1957: Fundação da Associação de São Paulo e Brasil Meridional da Cruz de Malta

1970: Uma equipe de Professores da Universidade São Paulo (USP) orientou a organização do atendimento médico á população. As atividades começaram em três salas com espaço bem reduzido.

1971: A Entidade recebeu a doação de um terreno doado pela Cúria e captou recursos para a construção da primeira sede própria, inaugurada nesse ano. A prioridade de atendimento eram as crianças pequenas; além das consultas de pediatria, davam-se aulas de higiene e puericultura, para orientação das mães. Aos poucos os atendimentos foram sendo ampliados, de acordo com as necessidades da população.

1977: Para atender ás necessidades das mães que precisavam trabalhar fora, foi criada a primeira creche, que atendia 50 crianças de 0 a 3 anos de idade. Mais tarde ficou pequena, por isso foi transferida para instalações mais amplas, que recebiam 100 crianças de 0 a 7 anos. Atualmente a nova Creche, construída em 1983, recebe 220 crianças.

1983: A ideia de levar atendimento médico a lugares distantes se ampliou a partir do momento em que, um barco totalmente equipado (o “São João Batista”) para atendimento médico, iniciou suas atividades com o apoio da Associação. Com um sacerdote-médico e uma enfermeira a bordo, o “São João Batista” passou atender a população ribeirinha carente nas margens do Rio Amazonas.

1984: O atendimento foi constantemente ampliado, até chegar ao seu limite. A diretoria obteve da Prefeitura de São Paulo, em regime de cessão de uso, um terreno de 9300 m2 , com a finalidade de edificar um Centro Médico e Socioeducativo e uma Creche. A sede central, inaugurada nesse ano, foi construída graças ás doações dos próprios membros da Associação, das empresas e dos recursos obtidos com promoções beneficentes.

1985: O serviço médico ambulatorial passou a contar com uma clinica móvel, um ônibus completamente equipado para levar assistência médico-odontológica a bairros mais distantes  e com carência de equipamentos de saúde.

1993: Foi inaugurada a quadra poliesportiva. Primeiro ela foi feita de areia, em 1995 passou a contar com piso e em 2002 recebeu cobertura e iluminação. Isso permitiu desenvolver um leque de modalidades esportivas e culturais, numa região com insuficiente oferta de equipamentos públicos do gênero.

1994: Devido ao aumento de violência na zona sul de São Paulo, para garantir a proteção social a meninos e meninas expostos a esse alto grau de risco e vulnerabilidade, foi criado o Centro de Juventude, para abrigá-los em horário alternado ao do colégio, oferecendo alimentação, reforço escolar e cuidados de saúde. No início participavam 35 meninos e meninas. Hoje são 140, entre 6 e 14 anos.

2004: Foi criado o time paraolímpico de vôlei sentado “Nossa Caixa-Cruz de Malta”, que conquistou importantes prêmios: Tetracampeão Brasileiro, Tricampeão Paulista, Bicampeão Troféu Sérvio Del Grande, medalha de ouro no Parapan-Americano de 2007. O time paraolímpico chegou também nas olimpíadas de Pequim de 2008 onde foi classificado em sexto lugar.

2008: O Coral da Terceira Idade “Cruz de Malta” gravou seu primeiro CD. O grupo, que se reuniu em 2001, é composto de 80 vozes e tem feito constantes apresentações, tanto em eventos da própria entidade quanto a convites externos. Além de ser uma comunidade musical, o Coral da Terceira Idade é um ponto de encontro entre amigos e representa uma oportunidade de socialização e de terapia ocupacional.

Hoje: O Coral da Terceira Idade “Cruz de Malta” gravou seu primeiro CD. O grupo, que se reuniu em 2001, é composto de 80 vozes e tem feito constantes apresentações, tanto em eventos da própria entidade quanto a convites externos. Além de ser uma comunidade musical, o Coral é um ponto de encontro entre amigos e representa uma oportunidade de socialização e de terapia ocupacional.