rdpl

As relações oficiais entre a Ordem de Malta e o Brasil, como Pais, datam a época do Império (1882-1889). Sem embargo, houve, no período colonial, a presença de cavaleiros jerosolimitanos reinóis ou estrangeiros. Além de manter ótimas relações diplomáticas com o governo imperial, a Ordem recebeu um apreciável contingente de nobres brasileiros em suas fileiras, inclusive a pessoa do Imperado Dom Pedro II.

Com o advento da Republica em 15/11/1889, houve um distanciamento. A Ordem de Malta só viria a restabelecer seus vínculos com o Brasil no ano de 1951, quando o Príncipe Olgierd Czartoryski, Bailio Grã Cruz de Honra e Devoção, apresentou suas cartas credenciais ao então Presidente Getulio Vargas. Alguns anos depois, com início em finais de 1956, viram a ser criadas Associações, cronologicamente definidas com a data de 1957.

A Ordem é presentemente reconhecida como Estado Soberano em mais de cem países, com relações diplomáticas através de Embaixadas.

O Embaixador da Ordem, em cada Estado, representa Sua Alteza Eminentíssima o Príncipe e Grão-Mestre e o Governo da Ordem Soberana e Militar de Malta perante o Presidente da República e o Governo, neste caso o do Brasil.

O Brasil é um dos países onde, como em tantos outros, a Ordem concentra os seus trabalhos no atendimento à população carente, dando assistência nos campos social, médico e educacional, em particular a crianças, adolescentes, a enfermos e a famílias necessitadas.

O Brasil acolheu Sua Alteza Eminentíssima o Príncipe e Grão-Mestre Fra’ Angelo de Mojana di Cologna (Grão-Mestre de 1962 a 1988) em 1966 e em outubro de 1984; em novembro de 1990, efetuou-se a visita de Sua Alteza Eminentíssima o Príncipe e Grão-Mestre Fra’ Andrew Bertie (Grão-Mestre de 1988 a 2008), por ocasião do 1° encontro Latino Americano em São Paulo.

Para além das visitas de SS.AA.EE., deve-se mencionar a de vários altos dignitários da Ordem como a do Grão Chanceler Quintin Jeremy Gwyn (setembro de 1973), a do Recebedor do Comum Tesouro, Conde Don Carlo Marullo di Condojanni, Príncipe de Casalnuovo (1990), a do Grão Hospitalário, Barão Albrecht von Boeselager (setembro de 2004), do Membro do Soberano Conselho Fra’ Conde Elie de Comminges (maio de 2005), do Grão Chanceler Jean-Pierre Mazery (maio de 2011).

O Soberano Conselho nomeou em 2006 para acompanhar as Associações da América Latina o Emb. Extraordinário em Missão e Membro do Conselho do Governo, D. Ruy de Villas-Boas, que para essa missão tem tido um grande apoio das Direções das Associações visitadas e muito particularmente de S.E. o Emb. Dr. Dino Samaja (Embaixador da SMOM desde 1988) e também do Dr. Antonio Carlos da Silva Coelho (ex- Membro do Conselho do Governo e desde 2008  Embaixador da SMOM no Peru).